Real GaNa
 
28 de Novembro de 2007

Devido ao crescente número de palavras inventadas, está a ser actualizado ao segundo...

Alevantar - O acto de levantar com convicção, com o ar de "a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!".

Aspergic - Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.

Assentar - O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

Capom - Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!

Destrocar - Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.

Disvorciada - Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

É assim - Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.

Entropeçar - Tropeçar duas vezes seguidas.

Eros - Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

Exensar - Termo que, para ser bem utilizado, tem que ser dito rapidamente para que algumas pessoas percebam que se quer dizer "deves pensar".

Falastes, dissestes e afins - Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: EU falei, TU falaste, ELE falou, TU FALASTES.

Fracturação - O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.

Inclusiver - Forma de expressar q percebemos de um assunto. E digo mais eu inclusiver acho esta palavra muita gira.

Mô - A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como "bué" ou "maning". Ex.: Atão mô, tudo bem?

Nha - assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer "Nha mãe" e é uma poupança extraordinária.

Númaro - Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!

Parteleira - Local ideal para guardar os livros de português do tempo da escola.

Perssunal - O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.: "Sou perssunal de futebol". Dica: deve ser articulada de forma rápida.

Pitaxio - Aperitivo da classe do "mendoim".

Prontus - Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um "prontus"! Fica sempre bem.

Prutugal - País ao lado da Espanha. Não é a Francia.

Rondana - Uma roldana que ronda à volta de si mesma.

Quaise - Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais. Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.

Shampum - Líquido para lavar o cabelo que quando cai na banheira faz PUM.

Stander - Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o "stander de automóveis.

Tipo - Juntamente com o "É assim", faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada e não servir para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo.É assim... tipo tás a ver?

Treuze - Palavras para quê? Todos nós conhecemos o numaro treuze.

Vosso mail - Se alguém não atende o telemóvel obviamente que vai para o vosso mail.
publicado por Real GaNa às 15:23 link do post
26 de Novembro de 2007

6 Janeiro:

Passei no exame de condução! Posso agora conduzir o meu próprio automóvel, sem ter de ouvir as recomendações dos instrutores, sempre a dizerem-me " por aí é sentido proibido!" "Vamos em contramão!", "Olha a velhinha! Trava! Trava!", e outras coisas do género. Nem sei como aguentei estes últimos dois anos e meio...

 

8 de Janeiro:

A Escola de Condução fez-me uma festa de despedida. Os instrutores nem sequer deram aulas. Um deles disse que ia à missa, julgo que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar. Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carta não merecia tal exagero.

 

12 Janeiro:

Comprei carro, infelizmente tive que deixar o carro no concessionário, para substituir o pára-choques traseiro, pois quando tentei sair, meti marcha-atrás em vez de primeira. Deve ser falta de prática. Há uma semana que não conduzo!

 

14 Janeiro:

Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair do "Stand", que resolvi dar um passeio. Parece que muitos outros tiveram a mesma ideia, pois fui seguida por inúmeros automóveis, todos a buzinar como num casamento. Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5 à Hora. Os outros gostaram, buzinando ainda mais.

 

22 Janeiro:

Os meus vizinhos são impecáveis. Colocaram posters avisando em grandes letras: "ATENÇÃO ÀS MANOBRAS ", marcaram com tinta branca um lugar bem espaçoso para eu estacionar e proibiram os filhos de sair à rua enquanto durassem as manobras. Penso que é tudo para não me perturbarem. Ainda há gente boa neste mundo...

 

31 Janeiro:

Os outros automobilistas estão sempre a buzinar e acenar-me. Acho isso simpático, embora um pouco perigoso. É que um deles apontou para o céu, com o dedo espetado. Quando procurei ver o que me apontava, quase bati. Valeu que eu ia a minha velocidade de cruzeiro de 10 à Hora.

 

10 Fevereiro:

Os outros automobilistas têm hábitos estranhos. Para além de acenarem muito, estão sempre a gritar. Não os ouço, por ter os vidros fechados, mas julgo que me querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido um a dizer "Vai para Casa ". A ser verdade, é espantoso. Não sei como ele adivinhou para onde eu ia. De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão de abrir os vidros, vou tirar muitas dúvidas.

 

19 Fevereiro:

A Cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje a minha primeira condução nocturna e tive de andar sempre nos máximos, para ver convenientemente. Todos os automobilistas com quem me cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram os máximos e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham. Só não percebi a razão das buzinadelas. Talvez para espantar qualquer cão ou gato, sei lá.

 

26 Fevereiro:

Hoje tive um acidente. Entrei numa rotunda e como havia muitos automóveis (não quero exagerar, mas deviam ser no mínimo uns quatro) não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e fui chocar com o monumento ao centro da rotunda. Acho que deviam limitar a circulação nas rotundas a um carro de cada vez.

 

3 Março:

Estou em maré de azar. Fui buscar o carro à oficina e logo a saída troquei os pés, acelerando a fundo em vez de travar. Abalroei um carro que ia a passar, amassando-lhe todo o lado direito. O automobilista era, por coincidência, o engenheiro que me fez o exame de condução. Um bom homem, sem dúvida. Insisti em dizer-lhe que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir: "Que Deus me perdoe! Que Deus me perdoe!"

publicado por Real GaNa às 15:20 link do post
tags:
20 de Novembro de 2007

Numa universidade de filosofia, foi proposto o seguinte trabalho:

 

"Aborde, da forma mais concisa, os três domínios seguintes:

 

1 - Religião

2 - Sexualidade

3 - Mistério"

 

O texto classificado com 20, foi o seguinte:

 

"Meu Deus, estou grávida! Mas, quem é o pai?"

publicado por Real GaNa às 14:59 link do post
16 de Novembro de 2007

 

 

 

publicado por Real GaNa às 22:04 link do post
sinto-me: excelente
tags:
14 de Novembro de 2007

publicado por Real GaNa às 22:02 link do post
tags:
10 de Novembro de 2007

A Medicina é - diz quem a pratica - a mais bela das profissões. Quem a exerce sabe que cada vez mais deve estar atento à qualidade da comunicação que mantém com o paciente como parte primordial de todo o projecto terapêutico: saber escutar o doente, entender as suas formas de expressão e saber transmitir em termos simples e directos aquilo que pensa e aquilo que pretende que o doente assimile e ponha em prática, sem recorrer ao linguajar hermético e técnico que caracteriza alguns sectores da classe médica, é para o clínico muito mais de meio caminho andado para o sucesso...

'O doente que tem que contar em minutos os males de um 'maldito corpo que não corresponde aos desejos da alma' está sujeito alapsus linguae, frutos da atrapalhação, da timidez, do incómodo de ali estar perante o médico. Compreendamo-lo pois com bom humor!'


Carlos Barreira da Costa, médico Otorrinolaringologista da mui nobre e Invicta cidade do Porto, decidiu compilar no seu livro 'A Medicina na Voz do Povo', com o inestimável contributo de muitos colegas de profissão, trinta anos de histórias, crenças e dizeres ouvidos durante o exercício desta peculiar forma de apostolado que é a prática da medicina. E dele não resisti a extrair verdadeiras jóias deste tão pouco conhecido léxico que decidi compartilhar convosco.

O diálogo com um paciente com patologia da boca, olhos, ouvidos, nariz e garganta é sempre um desafio para o clínico:

'A minha expectoração é limpa, assim branquinha, parece, com sua licença, espermatozóides'.

'Quando me assoo dou um traque pelo ouvido, e enquanto não puxar pelo corpo, suar, ou o caralho, o nariz não se destapa'.

'Não sei se isto que tenho no ouvido é cera ou caruncho'.

'Isto deu-me de ter metido a cabeça no frigorífico. Um mês depois fui ao Hospital e disseram-me que tinha bolhas de ar no ouvido'.

'Ouço mal, vejo mal, tenho a mente descaída'.

'Fui ao Ftalmologista, meteu-me uns parafusinhos nos olhos a ver se as lágrimas saiam'.

'Tenho a língua cheia de Áfricas'.

'Gostava que as papilas gustativas se manifestassem a meu favor'.

'O dente arrecolhia pus e na altura em que arrecolhia às imidulas infeccionava-as'.

'A garganta traqueia-me, dá-me aqueles estalinhos e depois fica melhor'.

As perturbações da fala impacientam o doente:

'Na voz sinto aquilo tudo embuzinado'.

'Não tenho dores, a voz é que está muito fosforenta'.

'Tenho humidade gordurosa nas cordas vocais'.

'O meu pai morreu de tísica na laringe'.

Os 'problemas da cabeça' são muito frequentes:

'Há dias fiz um exame ao capacete no Hospital de S. João'.

'Andei num Neurologista que disse que parti o penedo, o rochedo ou lá o que é...'.

'Fui a um desses médicos que não consultam a gente, só falam pra nós'.

'Vem-me muitos palpites ruins, assim de baixo para cima...'.

'A minha cabecinha começa assim a ferver e fico com ela húmida, assim aos tombos, a trabalhar'.

'Ou caiu da burra ou foi um ataque cardeal'.

Os aparelhos genital e urinário são objecto de queixas sui generis:

'Venho aqui mostrar a parreca'.

'A minha pardalona está a mudar de cor'.

'Às vezes prega-se-me umas comichões nas barbatanas'.

'Tenho esta comichão na perseguida porque o meu marido tem uma infecção na ponta da natureza'.

'Fazem aqui o Papa Micau (Papanicolau)?'

'Quantos filhos teve?' - pergunta o médico. 'Para a retrete foram quatro, senhor doutor, e à pia baptismal levei três'.

'Apareceu-me uma ferida, não sei se de infecção se de uma foda mal dada'.

'Tenho de ser operado aostick . Já fui operado aos estículos'.

'Quando estou de pau feito... a puta verga'.

'O Médico mandou-me lavar a montadeira logo de manhã'.

As dores da coluna e do aparelho muscular e esquelético são difíceis de suportar:

'Metade das minhas doenças é desfalsificação dos ossos e intendência para a tensão alta'.

'O pouco cálcio que tenho acumula-se na fractura'.

'Já tenho os ossos desclassificados'.

'Alem das itroses tenho classificação ossal'.

'O meu reumatismo é climático'.

'É uma dor insepulcrável'.

'Tenho artroses remodeladas e de densidade forte'.

'Estou desconfiado que tenho uma hérnia de escala'.

O português bebe e fuma muito e desculpa-se com frequência:

'Tomo um vinho que não me assobe à cabeça'.

'Eu abuso um pouco da água do Luso'.

'Não era ébrio nato mas abusava um pouco do álcool'

'Fujo dos antibióticos por causa do estômago. Prefiro remédios caseiros, a aguardente queimada faz-me muito bem'.

'Eu sou um fumador invertebrado'.

O aparelho digestivo origina sempre muitas queixas:

'Fui operado ao panquecas'.

'Tive três úlceras: uma macho, uma fêmea e uma de gastrina'

'Ando com o fígado elevado. Já o tive a 40, mas agora está mais baixo'.

'Eu era muito encharcado a essa coisa da azia'.

'Senhor Doutor a minha mulher tem umas almorródias que com a sua licença nem dá um peido'.

'Tenho pedra na basílica'.

'O meu marido está internado porque sangra pela via da frente e pinga pela via de trás'.

'Fizeram-me um exame que era uma televisão a trabalhar e eu a comer papa'.

'Fiz uma mamografia ao intestino'.

'O meu filho foi operado ao pence ( apêndice) mas não lhe puseram os trenos ( drenos ), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)'.

Os medicamentos e os seus efeitos prestam-se às maiores confusões:

'Ando a tomar o Esperma Canulado'- Espasmo Canulase

'Tenho cataratas na vista e ando a tomar o Simião' -Sermion

'Andei a tomar umas injecções de Esferovite' -Parenterovit

'Era um antibiótico perlim pim pim mas não me fez nada' -Piprilim

'Agora estou melhor, tomo o Bate Certo' -Betaserc

'Tomo o Sigerom e o Chico Bem' - Stugeron e Gincoben

'Ando a tomar o Castro Leão' -Castilium

'Tomei Sexovir' -Isovir


'Tomo uma cábulas à noite'.

'Tomei uns comprimidos 'jaunes', assim amarelados'.

'Tomo uns comprimidos a modos de umas aboborinhas'.

'Receitou-me uns comprimidos que me põem um pouco tonha'.

'Estava a ficar com os abéticos no sangue'.

'Diz lá no papel que o medicamento podia dar muitas complicações e alienações'.

'Quando acordo mais descaída tomo comprimidos de alta potência e fico logo melhor'.

'Ó Sra. Enfermeira, ele tem o cu como um véu. O líquido entra e nem actua'.

'Na minha opinião sinto-me com melhores sintomas'.

O que os doentes pensam do médico:

'Também desculpe, aquela médica não tinha modinhos nenhuns'

'Especialista, médico, mas entendido!'.

'Não sou muito afluente de vir aos médicos'.

'Quando eu estou mal, os senhores são Deus, mas se me vejo de saúde acho-vos uns estapores'.

'Gosto do Senhor Doutor! Diz logo o que tem a dizer, não anda a engasular ninguém'.

'Não há melhor doente que eu! Faço tudo o que me mandam, com aquela coisa de não morrer'.

Em relação ao doente o humor deve sempre prevalecer sobre a sisudez e o distanciamento. Senão atentem neste 'clássico':

'Ó Senhor Doutor, e eu posso tomar estes comprimidos com a menstruação?

Ao que o médico retorque: 'Claro que pode. Mas se os tomar com água é capaz de não ser pior ideia. Pelo menos sabe melhor.'
publicado por Real GaNa às 21:53 link do post
sinto-me:
tags:
06 de Novembro de 2007

 

 

 

publicado por Real GaNa às 16:28 link do post
sinto-me:
tags:
05 de Novembro de 2007

publicado por Real GaNa às 11:20 link do post
sinto-me:
tags:
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
15
17
18
19
21
22
23
24
25
27
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Que ótimo trabalho, ele é um exelente artista plas...
Ias para professor/a.. ou então parás de reclamar,...
gosto de castanhas, acompanhado com um copo de águ...
A minha cor também deu verde. Será que eles só tem...
boas...também não concordo com este tipo de "arte"...
O "Direito à indignação", apesar de não o ter indi...
Eu que não sou professor, acho que eles defendem u...
blogs SAPO